Romper com os pensamentos negativos é como incentivar a mente a ir ao ginásio: é preciso treino e disciplina mas com esforço os resultados chegarão!

Os nossos diálogos internos podem ser cruciais para o nosso desenvolvimento pessoal. Se estamos constantemente a fazer previsões negativas sobre nós próprios, se acreditamos que vamos sempre falhar, errar ou fazer mal, provavelmente todo este discurso poderá retirar energia e força mental para atingirmos os nossos objectivos.

Como fazer para quebrar com este diálogo?

 

  1. Preste atenção aos seus pensamentos

Tal como tudo, quando nos habituamos a algo pode tornar-se difícil sair da rotina. Por isso, preste atenção aos seus pensamentos, às mensagens que o seu discurso interior está a transmitir, por forma a conseguir identificar como pode alterar a forma como pensa.

 

  1. Mude o canal

Sabemos que é importante pensar sobre as coisas, de forma a compreender o que aconteceu e melhorar no futuro. Porém, não é benéfico quando ficamos a remoer, a ruminar, quando entramos num ciclo de repetição e destruição.

Assim, quando se aperceber que está num ciclo deste género, pare e encontre o seu espaço. Procure fazer algo para se distrair do ciclo, para conseguir parar temporariamente de dar palco à negatividade.

 

  1. Examine a evidência

Nem sempre os pensamentos são totalmente verdadeiros e exactos. Às vezes são exagerados e podem fazer-nos acreditar em algo que não é real. Quando se deparar com este tipo de pensamentos, pare e examine a realidade: será que, de facto, tudo se processa da forma como estou a pensar? Quais são as evidências reais?

 

  1. Substitua pensamentos exageradamente negativos por afirmações realistas

Quando reconhece que os seus pensamentos negativos não são completamente verdadeiros, tente substitui-los por algo mais realista. Por exemplo, se pensar que nunca vai conseguir o emprego a que se candidata, pode ser substituir o pensamento por: “Se eu me aplicar na entrevista e se mostrar as minhas capacidades, talvez este emprego possa ser meu”.

Tenha em atenção para não criar pensamentos positivos mas irrealistas, pois estes são tanto ou mais prejudiciais que o ciclo de negativismo.

 

  1. Considere o quão mau seria se os seus pensamentos negativos fossem efectivamente verdadeiros

Às vezes fazemos uma tempestade num copo de água. Imaginamos o terror, uma catástrofe, caso determinada situação aconteça. É importante que consigamos desmistificar estes pensamentos e ponderar, realmente, qual será o pior cenário. Custa enfrentar a realidade, mas nenhum pior cenário será tão mau quanto imaginamos no início. Lidar com rejeição, com o erro, com a falha torna-nos mais resilientes, pelo que podemos sempre tentar extrair algo de positivo, de uma situação menos boa.

  1. Pergunte-se qual o conselho que daria a um amigo

Quantos vezes reparamos que é mais fácil ser mais compreensivo com um amigo do que connosco próprios? Quando estamos a lutar com momentos difíceis ou de dúvida da nossa capacidade de sucesso, é importante que possamos também dizer-nos palavras de conforto e confiança, tal como faríamos a um amigo.

 

  1. Balance o auto-aperfeiçoamento com auto-aceitação

Há uma diferença entre dizer a si mesmo que não é bom o suficiente e reconhecer que pode haver espaço para melhorar.  Aceitar os seus erros e perceber como pode fazer de forma diferente é o caminho para mudar e melhorar no futuro.

 

Percebemos, então, que a mente pode tornar-se nossa aliada ou nossa inimiga, pelo que é essencial que consiga treiná-la. Repare nas suas conversas interiores e tenha em atenção as dicas deste artigo: aos poucos, a sua mente poderá ajuda-lo a alcançar cada vez mais os seus objectivos.

 

Fonte: Psychology Today

Andreia Cavaca

Andreia Cavaca

Psicóloga Clínica e Psicoterapeuta
ver perfil
"...e acreditamos que vamos sempre falhar, errar ou fazer mal, provavelmente todo este discurso poderá retirar energia e força mental para atingirmos os nossos objectivos".